domingo, 28 de janeiro de 2018

CENTENO INVESTIGADO POR RECEBIMENTO INDEVIDO DE VANTAGEM


À POLÍTICA O QUE É DA POLÍTICA!
Resultado de imagem para diap lisboa



A gente lê e não acredita no que leu. Acha que isto não pode estar a passar-se em Portugal. A verdade é que está. E pior ainda: estas situações tendem a aumentar de acordo com a agenda política de quem as comanda.

Vamos a factos. Isto é, vamos aos factos que se diz (dizem os órgãos de comunicação que habitualmente veiculam os segredos de justiça à guarda do Ministério Público) terem existido: o filho de Luís Filipe Vieira teria pendente um pedido de isenção de IMI relativo a um prédio urbano reabilitado, isenção contemplada na lei cuja concessão é da competência da Câmara Municipal, embora a isenção tenha de ser homologada pelo Autoridade Tributária; tempos mais tarde, em consequência da devassa à correspondência do Benfica, ficou a saber-se que o filho de LVF agradeceu ao pai o "empurrão" que este teria dado para a resolução do assunto que se arrastava há algum tempo; soube-se também que Mário Centeno pediu ao presidente do Benfica dois bilhetes para um determinado jogo no Estádio da Luz, tendo-lhe sido facultado duas entradas no camarote presidencial, que é um espaço exclusivamente reservado a convidados.

Vai daí, no melhor estilo do "comentário" futebolístico, as autoridades judiciais ou policiais competentes dão a conhecer que suspeitam de uma relação de causalidade entre um suposto pedido de LFV ao Ministro das Finanças e os dois bilhetes oferecidos pelo Benfica a Mário Centeno. Por outras palavras, mais populares mas mais incisivas: suspeitam que Mário Centeno se vendeu por dois bilhetes de futebol! Inacreditável, porém verdadeiro. E vai daí monta-se uma operação de busca em grande escala ao gabinete do Ministro, como se de um vulgar malfeitor se tratasse, largamente publicitada na imprensa, com a grande probabilidade de o resultado dessas buscas, mais dia, menos dia, aparecer nos jornais que costumam veicular a documentação em segredo de justiça à guarda daquelas autoridades. E dizemos que existe uma grande probabilidade de isso acontecer porque os exemplos mais recentes de buscas na residência ou no local de trabalho de certas personalidades - não de todas – tendem a demonstrar que não existe nenhuma efectiva garantia de sigilo do resultado ou de certos resultados dessas buscas, sempre que isso seja conveniente à investigação, podendo o interesse dessa conveniência assumir múltiplos contornos.

Os portugueses não podem deixar de interrogar-se sobre o verdadeiro objectivo deste tipo de diligências já que não haverá certamente um único cidadão que no seu perfeito juízo possa acreditar que o Ministro das Finanças da República Portuguesa se venda por dois bilhetes de futebol! Agora, o que todos os portugueses sabem é que o Ministro das Finanças desempenha um papel fundamental e, porventura insubstituível, na actual solução política governativa. O Ministro das Finanças é para todos os que dela discordam um alvo, o principal alvo, atingir. Como todos se recordarão, já houve noutro contexto, ou seja, no contexto apropriado, uma primeira tentativa de o descredibilizar. Sem êxito, como sem êxito continuariam a ser as que se desencadeassem no contexto apropriado. Portanto, nada melhor do que uma suspeita sobre a sua honorabilidade pessoal para o tentar atingir na sua idoneidade e competência política.

Os portugueses não podem deixar igualmente de interrogar-se como podem as autoridades judiciais e policiais competentes perder tempo e gastar dinheiro com casos destes, quando noutros de magna importância nada fizeram ou o que fizeram ou do modo como fizeram nada resultou. E não falámos de suspeitas, falámos de factos judicial ou administrativamente comprovados, como são os casos dos “submarinos”, dos “helicópteros”, dos “pandur”, da Tecnoforma, para já não falar das personalidades de relevo envolvidas no caso BPN que passaram incólumes perante a justiça. E se tivéssemos de falar de suspeitas, de suspeitas com substância e conteúdo, por que não se investigaram as privatizações do Governo Passos Coelho nem se fizeram buscas no gabinete de Maria Luís para efectivamente se apurar o que se passou com as privatizações, nomeadamente da TAP, dos CTT, das concessões na área dos transportes?




13 comentários:

Lúcia disse...

Muito bom!!!

Anónimo disse...

Pena que os seus textos sejam tão espaçados

JM Correia Pinto disse...

Vou tentar ser mais regular.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Essa, de ir passar a ser mais regular
é uma boa notícia

Quanto ao Centeno...
tenho centenas de queixas contra ele
mas essa não me passaria pela cabeça
nem as tais centenas são caso de polícia

Raimundo Narciso disse...

Muito bom comentário. Quem sabe sabe.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Levei (parte do) texto seu, lá para o meu "Conversa..."

Anónimo disse...

É preciso um acto colectivo de indignação contra este tipo de ataques do MP.

António disse...

Inteiramente de acordo. As propaladas imparcialidade e independência da PGR ficam sobejamente ilustradas com estes procedimentos ridículos. Digamos que à alusão a que poderia não ser reconduzida (porque o monhé disse à preta para assim fazer, como hoje mesmo li num comentário na caixa do Jornal Económico online, típico dos apoiantes do Passismo) a PGR decidiu mostrar os dentes.
O anúncio de que Centeno terá decidido apresentar a demissão se este gravíssimo atentado à lei levar à sua constituição como arguido, corresponde à resposta: morda à vontade.
Ainda creio que nem o sacrista do príncipe perfeito, o São Marcelo dos desvalidos, o Presidente dos Afectos (antes catavento) deixará tal provocação ir para a frente.
Talvez a esta hora esteja a dar o recado à PGR, numa audiência de que nenhum media vai dar notícia, tão bem domados e orquestrados todos eles estão.

António disse...

Só mais isto: não tenho blogue, nem ando pelos facebook ou twiter, mas penso que os seus leitores que estão em tais situações deveriam dar a maior divulgação ao seu comentário - que não esperava, tão raro se tornou, a ponto de chegar a pensar que só a Catalunha o movia.

Jose Carreto Lages disse...

Subscrevo o texto que espelha uma situação no mínimo ridicula que deve envergonhar o s

Hipnoterapeuta Adelino Araújo disse...

Será isto uma vingança do poder judicial (provavelmente conotado com a direita e com o saudosismo fascista) contra um ministro que vai tendo sucesso no seu trabalho governativo ? A situação (dados outros casos mais graves que prescreveram, por falte de investigação) é tão ridícula (e quiçá revestida de alguma ignorância tributária), que até dá para desconfiar !

disse...

Muito assertivo. Vou divulgar. As pessoas necessitam conhecer mais do que a CS vomita a toda a hora.

Unknown disse...

Dos fracos não reza a estória. Onde estão os fortes nesta contenda . No MP ou Governo....não +e bonito falar das pessoas pela cor da pele....isso é racismo não representa mdignidade para quem o menciona.
pois, se além das 2 entradas para os futebois encontrarem coisa que mereça a pena investigar, que vão em
frente, mesmo que o tal Centeno seja o Ronaldo da bolinas ou cifroes. Avante camarada-----