sábado, 22 de novembro de 2014

A DETENÇÃO DE JOSÉ SOCRATES


 

O CHOQUE DAS NOTÍCIAS
 

 

Sem entrar no âmago da questão, duas notas que não podem deixar de ser feitas.

As televisões e, pelo menos, um jornal fornecem uma descrição tão pormenorizada dos “crimes” cometidos por José Sócrates, que já nem sequer se põe a questão de saber de que é que ele vai ser acusado nem qual a extensão da pronúncia. A única dúvida que ainda subsiste é a da medida da pena.

Isto só é possível se alguém, muito por dentro da investigação, tiver fornecido aos jornalistas estes elementos que imediatamente os debitam para a opinião pública com menos cautela que a que teriam se tivessem de relatar as desavenças de um tal Bruno de Carvalho com Nani ou com qualquer outra das pérolas do Sporting.

Ora, muito por dentro da investigação só poderão estar algumas, poucas, pessoas. É de admitir que a Procuradora Geral da República, dada a hierarquia da instituição, tenha tido conhecimento do que se estava a passar e do que se iria passar no dia de ontem. Mas como guardião do templo, se ela não o guardar quem o guardará?

Também não é crível que a Ministra da Justiça tivesse sequer conhecimento da investigação – pois não foi ela surpreendida pelos “Vistos Dourados/Operação Labirinto” no seu Ministério em locais contíguos ao seu gabinete? Mas não somente por isso. Também por ser  uma apaixonada pelo “Estado de Direito” e além do mais porque promoveu ou propôs a “candidatura” da actual Procuradora Geral por se tratar de uma pessoa que “amava o Ministério Público” – tudo, portanto, factos mais do que suficientes para afastar qualquer suspeita.

Restam mais dois: o Procurador que tem a investigação a seu cargo e alguém da sua equipa que esteja tão bem informado quanto ele dos meandros do processo. Oh, mas do Ministério Público não sai nada. Aquilo é uma tumba.

Por último, o Juiz Carlos Alexandre, que certamente terá um bom conhecimento do processo para poder interrogar com eficácia e proveito os quatro arguidos, a menos que o seu conhecimento do que se ia passar seja coevo do de José Sócrates que também só soube o que lhe ia acontecer quando ontem à noite chegou à Portela. E deve ser isto certamente o que se passa porque o Juiz Carlos Alexandre não interfere nas investigações do Ministério Público, nem delas tem conhecimento antes de passar os mandados solicitados pela investigação. Está acima de toda a suspeita...

Todavia, não se acreditando nas proezas do Espírito Santo (claro, o da Santíssima Trindade) tem fatalmente de admitir-se que a informação só pode ser dada por quem a tem. E como a investigação em Portugal não é uma “balda”, não é de aceitar que os segredos de justiça estejam assim ao alcance de qualquer manga-de-alpaca.

Ainda haveria a hipótese de alguém do Governo, perito na luta política, ter passado a informação aos jornalistas. Alguém que só trate de política, como Passos, Portas, Marco António (Maduro não, Maduro só dá ”barraca”). Mas, como é óbvio, tratar-se-ia de uma suposição absurda, porque o Governo foi ontem à noite tão surpreendido quanto nós pelo rodapé da SIC Notícias.

Esta é a primeira nota. A segunda é o SMS de António Costa aos “Camaradas e militantes” socialistas.

Não tendo eu que lavar a alma com declarações do género: não fui, não sou, nem nunca serei, o que posso dizer, e creio que muitas outras pessoas dirão mesmo, é que se eu fosse militante socialista não teria gostado nada daquele SMS.

Não se trata tanto de o futuro SG do PS se atravessar por aquele que foi durante cerca de 7 anos Primeiro Ministro e Secretário Geral do Partido. Trata-se de fazer uma declaração consentânea com a gravidade da situação. Talvez os socialistas esperassem que António Costa assumisse sem hipocrisia a gravidade da situação, nos dois lados que ela comporta. Talvez os militantes socialistas esperassem que o muito próximo Secretário geral do PS, depois da conversa da praxe “à Justiça o que é da Justiça”, dissesse qualquer coisa como isto: “A prisão, mesmo que seja apenas para interrogatório, de um ex-Primeiro Ministro é acto de tal gravidade política, com repercussões imprevisíveis no país, no regime e no estrangeiro, que eu não posso senão acreditar que as autoridades estão de posse de provas inequívocas relativas a crimes da maior gravidade, pois como poderia eu compreender que crimes económicos com nefastas consequências para todos nós, como as falências do BPN, do BPP, do BES continuem impunes e sem punição à vista, continuando todos aqueles que por elas são responsáveis a gozar tranquilamente os frutos das falência que provocaram? Ou como podem os gestores da PT, depois da gestão ruinosa que fizeram, ter como prémio milhões e milhões de euros?”. “Eu”, deveria ter dito Costa, “como socialista não posso ver as coisas de outra maneira”.

Mas não disse. Fez em relação a Sócrates o mesmo que está a fazer em relação a todos que acreditam nele: deixa-os supor que vai fazer diferente e na hora da verdade vai fazer igual. Aliás, Passos se tivesse que enviar um SMS sobre a prisão de Sócrates não teria escrito diferente do que escreveu Costa.

9 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Costa podia ter escrito o que Jerónimo terá dito

menvp disse...

A maior 'performance' de José Sócrates vai passar ao lado da justiça: a (quase) duplicação da dívida pública em seis anos!

Lourenço disse...

Este menvp está a falar de Passos coelho, confundiu-se coitado pensou que o preso foi o PM. Confusões!!!

Anónimo disse...

Penso que muitas histórias são inventadas, conforme a conveniência de "alguém" que está por detrás disto tudo e portanto não há fuga de informação nenhuma. O MP e o Juiz terão de gerir as informações e a sua origem para descobrirem a pessoa ou organização que está por detrás desta comédia. Vejam o caso Freeport. Nada do que disseram de Sócrates se confirmou e não digam que a PJ não se fartou de vasculhar !

Nuvorila disse...

Lembram-se dos velhos costumes:foi abatido,quando tentava evadir-se...No lugar de Sócrates não largaria a mão do Baltazar Garzón da Liga Portuguesa!

Anónimo disse...

E porque e que o Dr.Paulo Portas,o Presidente da Republica e outros…nao comentam este terramoto
politico,que esta a envergonhar a Nacao e a todos nos portugueses? Quais sao os motivos tao graves para
mandar um ex-primeiro ministro esperar pelo julgamento na cadeia? Houve sangue? Foi cacado em flagrante delito? Alguem se queixa que foi robado? E em quanto foi?

Anónimo disse...

American Convention on Human Rights (Pact of San Jose,Costa Rica).

No one may be the object of arbitrary or abusive interference with
his private life,his family,his home,or his correspondence, or of unlawful attacks on his honor or his reputation.

Anónimo disse...

Para mim a coisa é simples:
Se a PGR e o Presidente do STJ ordenarem a destruição dos elementos que permitiram ao Juiz de Instrucção despachar como despachou fica provado que não há prova nenhuma contra o arguido.
De seguida, manda-se juiz ocupar o lugar entretanto deixado vago na Cadeia de Évora (o lugar 44, 47 ?)
Além do mais o despacho tem 800 páginas. É um abuso. Para o ler teria que renunciar à leitura de umas obras em francês da época das luzes..

João Pedro

Anónimo disse...

Mas entao…prendece para investigar ou investiga-se para pernder?!!!! E tudo farinha do mesom saco!