terça-feira, 5 de abril de 2011

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

A LIÇÃO QUE O PS NÃO QUER TIRAR

Ouvir o Primeiro Ministro não seria certamente um entretenimento excitante. O Primeiro Ministro iria dizer aquilo que se esperava que ele dissesse. É normal e já se sabe como é que as coisas se passam com Sócrates quando insiste numa mensagem. Fá-lo normalmente melhor do que os demais.

A curiosidade estava em saber quem é que a RTP iria pôr a entrevistá-lo, depois da saída da Dama de Sintra e do Carvalho para a TVI. Foi com surpresa que se viu a condução da entrevista pelo representante da RTP em Washington e por uma senhora de que muita gente nunca tinha ouvido falar nem sabe quem é.

Vítor Gonçalves é conhecido, escreveu a Agenda de Cavaco Silva, está em Washington há meia dúzia de anos (ainda lá vai continuar por mais trinta) e ficou muito conhecido no Haiti pela forma corajosa como abordou uma réplica do sismo.

A dita senhora, desconhecida para o grande público, revelou-se muitíssimo delicada na condução da entrevista, actuou como admiradora confessa de José Sócrates e deu a todo o país um grande exemplo de profissionalismo…principalmente quando revelou um segredo que somente lhe poderia ter sido confiado por Belém.

O PS colhe o que semeia. Colocou por todo o lado gente da direita, do mais reaccionário que há, uma vezes (muitas vezes) por iniciativa própria – é preciso nos media quem ataque a esquerda; outras para fazer o frete à direita.

Queixa-se de quê?

6 comentários:

Rogério Pereira disse...

Bom post, mas passa ao lado do entrevistado.
Sócrates teve desempenho brilhante dentro do paradigma actual, que para mim é um quadrado de área muito pequena (com pouco espaço para movimentos largos) definido por 4 lados (ou não seria um quadrado), considerados por ele (e por toda a direita) inamovíveis: 1º - A pressão (especulativa) dos mercados; 2º - As regras comunitárias (ou a sua ausência) personalizadas não pela comunidade, mas pelo eixo franco-alemão; 3º - Um sistema de partidos credíveis em formato reduzido (PS/PSD/CDS); 4º - A sua ambição ao poder...
Se este paradigma, igualzinho ao de Passos Coelho (pois a área do quadrado limita-lhe as alternativas) se mantiver, muito provavelmente o PS ganhará as eleições, adiando o sonho… da esquerda.

JMCpinto disse...

Concordo, com a análise, aliás geometricamente interessante. O objectivo do post, porém, não era comentar o conteúdo da entrevista de Sócrates.

Manojas disse...

Respondendo à pergunta final: O PS queixa-se, e com razão, de continuar a ser para esquerda radical o inimigo principal. Mas o seu post é tudo menos sobre a entrevista de Sócrates.

JVC disse...

Se calhar, até compreendo o JMCP. É que eu não conseguiria escrever sobre a entrevista. Ao fim de 5 minutos aquilo já era tão déjà vu que desliguei mentalmente. Estou com medo do que me espera de massacre mental até 5 de Junho.

Manojas disse...

Não basta ver, mesmo que muitas vezes, é preciso perceber o que se vê, por isso a insistência. Eu vejo e percebo assim, de mente aberta a todas as explicações.

Jorge Almeida disse...

Para quem quiser ver este "excelente" desempenho de Sócrates e dos entrevistadores, aqui vai o link:

http://www.rtp.pt/multimediahtml/progVideo.php?tvprog=27444