quarta-feira, 10 de setembro de 2014

COSTA E SEGURO


 
DIFERENTES? TALVEZ
Depois de dois debates em dias consecutivos, Costa e Seguro reencontram-se a 23 de setembro na RTP

Seguro é melhor do que Costa nos debates. Costa não tem nada para dizer, salvo que o PS nas europeias ficou aquém do que era exigível e que ele, Costa, tem condições para liderar um projecto de mudança que só ele sabe qual é.

O grande equívoco de ambos assenta na convicção de que o PS pode com a política que tem defendido desde que começou a crise mobilizar a maioria dos portugueses. Não pode. Seguro acredita que pode com base nas propostas que faz. E nisso não mente nem engana. Costa acredita que pode com base nas propostas que não faz.  Ou seja, assenta a sua estratégia na indução de uma convicção por parte do eleitorado da qual pode a todo o momento afastar-se com o argumento de que não são dele as propostas que levaram à formação daquela convicção.    Usa, portanto, uma forma superior de mentira que é a de criar as condições para que o eleitorado se engane a si próprio.

Todavia, no pouco que deixa antever, Costa está mais próximo de Passos do que Seguro. É mais liberal do que Seguro no sentido europeu do conceito. É a conclusão que decorre da sua propositada ausência de clareza para todos os que não queiram enganar-se a si próprios.

20 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Acho que vou a correr
fazer um link
para cá virem ler...

Zé_Lucas disse...

É a argumentação pró-Seguro mais rebuscada que já li.

JM Correia Pinto disse...

Pró-Seguro?

João Vasconcelos-Costa disse...

Zé Lucas, anda por aí a manipulação mais vergonhosa, a levar já 50000 candidatos a eleitores na luta dos Antónios, como se fosse uma coisa de relevância nacional, mais do que questão particular de um partido. Mas estou convencido que há muito mais gente de esquerda a quem tanto se lhe dá e que não embarca nesta demagogia e na vacuidade deste confronto meramente personalístico e de faces diferentes do mesmo espírito aparelhístico e sem diferenças em relação à rendição social-democrata ao social-liberalismo.
Assim, parece-me claro do "post" ser esta a posição do JMCP, de alheamento, com que concordo. Isto não impede a análise, sem prós e contras.

as-nunes disse...

Eu vim atrás do link do Rogério.

Concordo plenamente com a análise expendida.

Ou seja, parece que não temos um PS de que precisaríamos como do pão para a boca. Um Partido Socialista à altura das circunstâncias...

Como sair deste imbróglio em que o PS está a meter os portugueses?

Anónimo disse...

Posso não entender nada de política, mas entendo um pouco de pessoas.
Seguro é um homem digno, que merece a oportunidade de poder provar o seu valor.
Costa, mais um como tantos outros que procuram na política apenas o seu benefício.
É claro como a água que Seguro, pode defender melhor os interesses de Portugal, porque é um homem de valores que respeita os compromissos com todos os portugueses.
Costa vendia a mãe e os filhos para chegar a primeiro ministro. Um ser repugnante, ambicioso, sem escrúpulos, que desprestigia uma classe já tão desprestigiada.
Se podia fazer melhor, porque não agarrou o partido, quando era o número 2 do PS, após a saída de Sócrates?
Porque o partido estava desgastado e tinha que vir alguém o reabilitar. Costa debruçado à janela, apenas sorria e via Seguro a suar...
Costa agora quer o trono...
Pelo ser desonesto que é, devia ser expulso do partido, eu mandava-o varrer as ruas de Lisboa.
Será que os portugueses não vêm a forma honesta e transparente de Seguro fazer política?
Talvez seja a primeira vez em muitos anos que temos um político diferente, com características nobres que não devem, nem podem ser subestimadas, para bem de todos os portugueses e de Portugal!

Anónimo disse...

Numa Democracia em que o Poder do Povo está a ser canibalizado pelos Partidos e estes estão bloqueados, um País como o nosso em que a mansidão é generalizada só resta uma prática que é aplicada pelo patronato "não serve, rua"
Passos Coelho e António Seguro chumbados- as provas dadas não estão à altura das necessidades de Portugal e do Povo Português

Anónimo disse...

Costa chumbado! Rua!
Para primeiro ministro necessitamos de um homem que saiba o que é a lealdade.
Se não tem a noção desse conceito em sentido restrito (com um amigo), como pode ter no sentido lato (com um povo)???

Que valores vamos passar às gerações futuras, com homens como Costa?

Se hoje nos afundamos em questões económicas/sociais, se um homem como Costa ficar a gerir o país, a questão vai ser muito mais grave e vamos entrar numa crise de valores sem paralelo.
É ele um exemplo para o país, com a sua conduta?
Será que ele deixa para os nossos filhos o legado da coesão e do esforço conjunto de um partido a lutar pela democracia?
Ou a dissidência, motivada por um egoísmo sôfrego, desmesurado da sua ambição?
"Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade."
"No exercício destes direitos e no gozo destas liberdades ninguém está sujeito senão às limitações estabelecidas pela lei com vista exclusivamente a promover o reconhecimento e o respeito dos direitos e liberdades dos outros e a fim de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar numa sociedade democrática."
Onde está a fraternidade e a moral de Costa?
Vamos dar a oportunidade a Seguro. Andou no terreno, sujou os sapatos no pó, ouviu os lamentos e os gemidos de um povo e sabe as suas necessidades...
Costa, de sapatos brilhantes, almoçava em restaurantes chiques da cidade. Sorria e ria e preparava-se para a traição...
Não basta já destes políticos de sapatos engraxados?
Vamos dar a oportunidade a SEGURO,que tem alternativas, projectos.
E pela primeira vez temos um homem de palavra: Demito-me!
E sinto que o faria, para honrar a palavra, porque transporta em si Valores que já não comuns na política...
Sim, sem qualquer dúvida, Seguro para primeiro ministro!

Zé_Lucas disse...

Não reparei que tinha o botão "ironia" pressionado. Parece-me é que os restantes comentadores a este post também não.

Anónimo disse...

O Seguro é uma nulidade.Passos goza - o sempre que há debates na Assembleia.Um frouxo, incapaz de fazer uma oposição digna e firme a quem nos tem esbulhado e humilhado nos últimos anos. O PS está a caminho de uma longa travessia no deserto.E é pena.

Anónimo disse...

Um grande jantar em Almerim com Seguro.
Penso que Costa e Passos substimaram
o líder do PS!

pvnam disse...

PARA QUE CERTOS SECTORES DE ACTIVIDADE NÃO VENHAM A «FICAR ENTREGUES À BICHARADA»


É uma actividade complementar à regulação... e faz todo o sentido
.
.
-> No blog "'Fim-da-Cidadania-Infantil'" faz-se referência ao facto de ser necessário uma apresentação sistemática da actividade governamental... para que... quem paga (vulgo contribuinte) possa ter/exercer uma atitude crítica (nota: o seu Direito de Veto).
-> De uma forma análoga, as empresas públicas devem apresentar de forma sistemática a sua actividade (nota: a definir caso a caso... consoante o tipo de actividade da empresa pública)... para que... o consumidor/contribuinte possa ter/exercer uma atitude crítica!
Um exemplo: quiseram introduzir taxas em cada levantamento multibanco... todavia, no entanto, o consumidor/contribuinte reagiu: "o banco público C.G.D. apresentava lucros... sem ser necessário a introdução de mais uma taxa"!?!?!
.
.
Resumindo:
1- ficar à espera de auto-regulação privada/(de mercado) é coisa de otários...
2- a Regulação Estatal é necessário... todavia, no entanto... é algo que poderá ser um tanto ou quanto contornável... (uma nota: ver casos do BPN e do BES)
3- para que certos sectores de actividade [exemplo 1: a actividade política; exemplo 2: sectores estratégicos da actividade económica] não venham a «ficar entregues à bicharada»... é necessário que exista uma apresentação sistemática da sua actividade [ex. 1: governo; ex. 2: EMPRESAS PÚBLICAS em sectores económicos estratégicos] ... para que... o consumidor/contribuinte possa exercer uma constante atitude crítica!
.
.
.
P.S.
Uma opinião um tanto ou quanto semelhante à minha:
Banalidades - jornal Correio da Manhã:
- o presidente da TAP disse: "caímos numa situação que é o acompanhar do dia a dia da operação e reportar qualquer coisinha que aconteça".
- comentário do Banalidades: "é pena que, por exemplo, não tenha acontecido o mesmo no BES".

Anónimo disse...

Se Costa ganhar o PCP e Bloco vão perder muitos votos tendo com a sua capacidade para penetrar no eleitorado do centro possibilidade clara de obter uma maioria absoluta ou ficar perto dela o que condicionaria todos os outro partidos.Com a capacidade de liderança que tem(que é o que realmente está em jogo nestas primárias) e o potencial para fazer pontes à direita e esquerda do PS é a única pessoa capaz de retirar o País do definhamento social a que este governo o submeteu. Ver ilustres membros da esquerda e direita a defenderem aquele a quem nos últimos três anos chamavam TOZERO como a melhor alternativa para Primeiro Ministro para Portugal é uma prova clara que os militantes do PS devem votar claramente em Costa se querem que realmente as coisas mudem radicalmente em Portugal.

MANOJAS disse...

Fiquei estarrecido, mas depois entendi, a esquerda à esquerda do PS está com a direita, pois sabe que com o Seguro como candidato o problema será fácil de resolver, pela direita. Pois não foi assim que a direita chegou ao poder?

Anónimo disse...

Os "estarrecidos" devem estar equivocadamente estarrecidos.
Ou será apenas a utilização da hiperbole a tentar fazer passar a mediocridade da mensagem?

Duas notas rápidas: uma para sublinhar a linguagem um tanto acanalhada com que se mimoseiam os gladiadores desta ópera bufa, tão bem expressa aqui pelo Vasco Morais neste pequeno post:
http://sempunhosderenda.blogspot.pt/2014/09/o-29-de-setembro-no-ps-e-plasticina.html

A segunda nota para chamar a atenção para este, para mim brilhante, texto de Eduardo Brissos.
http://aessenciadapolvora.blogspot.pt/2014/06/eu-voto-no-costa-para-todos-esquerda.html#comment-form

Antecipava e de que maneira o discurso dalguns propagandistas regimentais

De

Anónimo disse...

Alguém tem dúvidas que Passos,Portas, Catarina Semedo eJerónimo se inscreveram nas primárias para votar Seguro? Não foram eles que se aliaram para derrubar Sócrates com isso permitindo que a direita mais reaccionária que este País teve tomasse conta do poder?Jerónimo e Louçâ sabiam perfeitamente que ao chumbar o PEC4 que a Troika tomaria conta do País.E no entanto fizeram-no porque não acreditam na democracia parlamentar logo quanto pior estiver o País mais possibilidades de haver uma revolução futura(da qual se acontecer será a extrema direita a tomar o poder).Por agora é necessário ter um líder fraco no PS que seja obrigado a governar com a direita em situação de inferioridade contribuindo para a quase certa implosão do PS pois esse governo fracassará rotundamente com a direita e extrema esquerda a culparem o PS POR ESSE FRACASSO!!! Daí tentarem fazer crer que Seguro é que é porque assenta que nem uma luva nesta estratégia..Se Costa perder vai ser um desastre para o PS e para o País.

Anónimo disse...

"Alguém tem dúvidas que Passos,Portas, Catarina Semedo e Jerónimo se inscreveram nas primárias para votar Seguro? "

Quem escreve tais barbaridades pensará que a propaganda acéfala reflectida em tal frase singra com a ligeireza como tais obscenidades são escritas.

"A desigualdade social combate-se em primeira linha pela via das políticas económicas e por tudo aquilo que com elas estiver directamente relacionado, como, por exemplo, a regulação do trabalho mediante uma clara opção pelo trabalho em detrimento do capital. Não se trata de propor ou sugerir que um partido do sistema capitalista, como o PS, hostilize o capital, trata-se apenas de recordar que já foi essa a política dos partidos sociais-democratas e até de certos partidos de direita como a democracia cristã do pós Guerra, mesmo sem esquecer que hoje são outros tempos e que emergiram na cena mundial múltiplos actores, alguns bem poderosos, que nesse passado recente eram apenas tomados em conta no seu papel geoestratégico definido em função dos interesses das potências dominantes enquanto hoje são eles próprios a fazer a defesa dos seus interesses frequentemente em confronto com os “velhos países” desenvolvidos do Norte.

Tendo sido os partidos socialistas, sociais-democratas e trabalhistas os grandes impulsionadores do neoliberalismo na Europa e nos seus respectivos países e tendo sido eles, em algumas áreas sociais, a trocar as políticas sociais por políticas assistencialistas, para amenizar alguns dos efeitos mais dramáticos do neoliberalismo, sem que contudo o fosso entre ricos e pobres deixasse de se agravar, relativa e absolutamente, não só por os mais ricos terem cada vez mais e os mais pobres cada vez menos, mas também por os mais ricos serem cada vez menos e os pobres cada vez mais, ou seja, com estes antecedentes há todas as razões para supor que nem Seguro nem Costa pugnarão pela radical mudança das políticas económicas com vista à produção de efeitos com que a maioria inequivocamente se identificaria."

Daqui:
http://politeiablogspotcom.blogspot.pt/2014/08/seguro-e-costa-diferencas-ideologicas.html


(De)

Anónimo disse...

Quanto aos famigerados PECs e ao esforçado esforço com que um ou outro tenta apagar e esconder o passado, vamos colocar os pontos nos is:

"Depois de o PSD ter apoiado o PEC1, mais o PEC2 e o PEC3 do engenheiro Sócrates, tendo sempre os comunistas votado contra, no momento em que Passos Coelho decidiu deixar cair o PEC4, nada justificaria que os comunistas, subitamente, decidissem inverter a sua posição, votando a favor. Só um imbecil poderia defender tal ideia!
Daqui:
"http://samuel-cantigueiro.blogspot.pt/2012/10/correia-de-campos-nem-todas-as-mentiras.html"

De

Anónimo disse...

E só os imbecis do PCP e do Bloco se podem queixar do caos social em que hoje o País vive. Podiam perfeitamente ter-se abstido pois PSD e CDS nâo tinham maioria para chumbar o PEC4 e tinham argumentos mais que suficientes para explicar a abstenção pois sabiam que a seguir viria o FMI. Colocaram a direita no poder e querem mantê-la associando-se a ela para eleger Seguro no PS. Com todo respeito pelo autor deste blog enquanto não existirem as condições políticas para se poder aplicar aquilo que ele defende para o País é urgente substituir este governo para acabar com esta política de terra queimada. Isso só poderá ser feito com um PS com uma liderança forte que promova um governo competente . Seguro teve três anos para provar que era capaz de o fazer. Não conseguiu porque não tem carisma nem tem capacidade de liderança. Para a direita e esquerda do PS é o candidato ideal. Para o PS e o País não é.Costa vai penetrar fortemente no eleitorado à esquerda e à direita do PS o que nunca aconteceria com Seguro. Liderança,carisma, carácter trajecto político é o que fundamentalmente está em causa. Alguma dúvida sobre em quem os simpatizantes do PS devem votar?

Anónimo disse...

A campanha eleitoral do anónimo em torno dum dos protagonistas do neoliberalismo pode ser aceitável entre os companheiros do dito, quer estes sejam personagens respeitáveis como sócrates, vara ou penedo, quer sejam personagens menos recomendáveis, como passos coelho , cavaco ou gama.Pode mesmo ser risível ver alguém a tentar captar o voto com termos de "captar o voto à direita ou à esquerda" quando se sabe que isso de captar podem até captar mas o resultado tem sido sempre,sempre,sempre, a governação à direita, de acordo com o figurino neoliberal, o tal que trouxe o caos social.

Mas aqui neste blog estas "tiradas"? Ainda por cima com este comportamento trauliteiro a lembrar que esta gente não augura nada de bom?"Imbecis do PCP e do Bloco"? Mas não foi o PS que assinou com a troika mai-lo PSD e PP? Em que um dos candidatos assinou por baixo e o outro assinou por cima ?

Não achará o anónimo que estas tiradas de propaganda são demasiado primitivas e tontas para poderem ser levadas a sério?
Francamente onde andará a cabeça do referido anónimo para pensar que jargões à silva pereira ou a poiares maduro colhem frutos entre pessoas minimamente esclarecias?

De