sábado, 2 de fevereiro de 2013

STALINGRADO


 

HÁ 70 ANOS
 

No dia 2 de Fevereiro de 1943, nas ruínas da fábrica de tractores, rendeu-se o último grupo combatente de soldados do VI Exército alemão.

Por mais que revejam a História e tentem agora transformá-la no que ela não foi, Stalingrado ficará para sempre como uma das mais memoráveis batalhas da História. Como disse Yeremenko, comandante da Frente de Stalingrado, os defensores de Stalingrado obtiveram uma vitória moral sobre o inimigo. Foi a defesa heróica da cidade durante quatro meses, de fins de Agosto a meados de Novembro de 1942, que permitiu ao Exército Vermelho iniciar a grande operação de cerco das tropas alemãs que levou à rendição de von Paulus, comandante do VI exército alemão.

 Estalinegrado foi uma grande vitória dos povos da União Soviética contra o nazismo. Uma vitória que alterou o curso da guerra, abrindo caminho à vitória final de todos os que no leste e no oeste combatiam a bestialidade nazi.

Na fotografia, Vassily Tchuikov, comandante do 62.º Exército, mais tarde 8.º Exército da Guarda, que haveria de comandar a contra-ofensiva soviética pela Bielorrússia e a Polónia até Berlim!

Ficou célebre a resposta dada por Tchuikov a Yeremenko e a Khrushchev (comissário político da Frente de Stalingrado) quando lhe perguntaram se compreendia bem a tarefa de que estava incumbido. Ele respondeu: “Vamos defender a cidade ou morrer, tentando-o!”

4 comentários:

Anónimo disse...

Só uma correção, foi o 6º Exécito alemão.

Schleibinger

JM Correia Pinto disse...

Sim, sem dúvida. Um erro inexplicável. Obrigado. Vou corrigir já.

Rogério Pereira disse...

Há datas que (imperdoavelmente) deixamos passar...

Anónimo disse...

Embora sem poder ocultar totalmente o significado da rendição Stalinegrado, a historiografia do mundo "livre", sobretudo a mais popularizada pela cultura holyoodesca, sempre o minimizou no desfecho do conflito. Mas parece-me que essa omissão/deformação é ainda mais acentuada em relação à grande batalha de Kursk que decorre poucos meses depois(julho743). Em pouco mais de uma semana os nazis perderam 40 divisões e obrigou Hitler a ceder à vontade dos generais. Esta batalha demonstrou, para além da tenacidade já conhecida dos soviéticos, a superioridade do material, nomeadamente os novos T34 que desbarataram a nova família de Panzers(?). Isto os ocidentais tinham dificuladde em aceitar porque a resistência dos russos "devia-se ao pavor das represálias de Stalin para os que se rendessem ou recuassem". Os russos ainda corriam riscos, mas, segundo os entendidos, com esta batalha a sorte da guerra ficou totalmente decidida e irremediavelmente perdida para os alemães. Lá viria depois, muito depois, o famoso dia D os bombardeamentos anglo-americanos entre eles a noite do valentões sobre Desden etc. etc.
Ontem lá foi o Putin a fazer o discurso da praxe (embora teenha dado uns recados à facilidade com que alguns se entregaram aos nazis) sobre a epopeia de uma cidade que já não existe, ou foi rebatizada contra a vontade da sua população e defensores. Imagino o que vai na cabeça dos poucos sobreviventes (o mais jovem com 89 anos) ao lembrarem o sacrifício de tantos amigos.. Não se terão perguntado se terá valido a pena?
lg