segunda-feira, 28 de junho de 2010

UM CASO EXEMPLAR




A PROPÓSITO DO ALEMANHA-INGLATERRA

O que mais me impressionou no jogo de ontem à tarde, entre a Alemanha e a Inglaterra, foi o extraordinário desportivismo da imprensa e dos jogadores ingleses. Um caso quase impossível de acontecer num campeonato do mundo, aconteceu. Nunca se saberá até que ponto aquela decisão influenciou o desfecho do jogo. Mas sabe-se por experiência que mesmo as equipas menos vulneráveis animicamente ficam afectadas quando perdem num instante uma vantagem que consideravam segura. E como se empolgam aquelas que, depois de terem o jogo quase perdido, conseguem recuperar a desvantagem com que estavam.
Isto sabe-se. O que se passaria depois disto, não se sabe, nem nunca se saberá.
O que se sabe é que os ingleses, atónitos com a decisão do árbitro, continuaram a jogar sem criar junto do árbitro uma pressão insustentável, tanto na primeira interrupção que se seguiu ao fatídico lance, como no intervalo ou no fim do jogo. E viu-se, por exemplo, como meia-equipa portuguesa reagiu a uma simples “mão” de um jogador brasileiro. E muitos outros exemplos iguais a este, ocorridos no Mundial, se poderiam apontar.
É igualmente extraordinário que nenhum grande jornal inglês, dos sérios aos tablóides, tenha trazido a fotografia do golo não validado na primeira página. Fizeram-no os alemães, porventura como expiação de uma culpa que não têm. Mas que grande gesto para a história do desporto mundial teria acontecido se no início da segunda-parte a equipa alemã tivesse introduzido a bola na sua própria baliza para repor a verdade do jogo! Foi pena…
Os ingleses a quem tantas vezes acusámos dos males do mundo também têm gestos de grandeza difíceis de igualar. Ou não fosse essa a grande lição de Shakespeare…

5 comentários:

Jorge Almeida disse...

Doutor Correia Pinto,

peço-lhe o favor de não falar de futebol durante o campeonato do mundo.

Gosto de futebol, não gosto quando o futebol é usado para mascarar a realidade da vida do dia-a-dia.

E, até agora, este era o único blogue (dos que consulto) que não escreveu sobre futebol durante este mundial.

JVC disse...

Pelo contrário, eu já estava bem admirado era com a contenção do JMCP. Como é que ele resistiu até agora a escrever sobre o campeonato? Creio que por quase não haver lá jogadores do Benfica :-)

Anónimo disse...

Meus Caros Amigos

Contrariamente ao que possam pensar, ainda não tinha falado do Mundial no blogue porque nenhum dos muitos jogos que já vi me tinha verdadeiramente emocionado.
Mas como sou visceralmente avesso à batota, dolosa ou negligente (eu sei que verdadeiramente não há batota negligente...), não pude deixar de referir o que de mais importante aconteceu até hoje e fiquei com muita pena que a Alemanha não tivesse marcado um golo na própria baliza. Seria um gesto histórico!
E além de não gostar de batota, também não gosto de mau futebol. Gosto de futebol inteligente, de preferência espectacular, seja quem for que o jogue...excepto se for batoteiro. Entendidos?
Abraço
CP

V disse...

Eu ainda não entendi. Defeito meu...
V

Anónimo disse...

Li algures, escrito não sei já por quem, que a "civilização" distingue os homens como que uma camada de verniz. Temos de convir que se trata de uma cama bem espessa!