sexta-feira, 8 de junho de 2012

MINEIROS ASTURIANOS - SOLIDARIEDADE


A TRADIÇÃO DE LUTA ASTURIANA



Se em Espanha há uma região onde os trabalhadores têm plena consciência da importância da luta como forma de alcançar os seus objectivos, essa região é indubitavelmente as Astúrias. Sempre assim foi ao longo do século XX, antes, durante e depois de Franco, e volta a sê-lo agora numa Europa semi-adormecida e incapaz de se opor eficazmente às políticas de austeridade, todas elas, sem excepção, destinadas a reforçar a taxa de lucro do capital.

Nas Astúrias, como de costume, a luta dos trabalhadores não se traduz num rosário mais ou menos barulhento de lamentos contra as políticas que lhes são impostas. A luta na Astúrias tende sempre a ser a resposta adequada à violência institucional que se abate sobre os trabalhadores. E mais uma vez assim está a ser. Os mineiros entraram em greve no dia 23 de Maio. Desde então têm-se confrontado quase diariamente com a polícia em recontros frequentes, têm cortado estradas e autoestradas com barricadas e passaram a contar desde domingo com a greve dos trabalhadores dos transportes. Uma greve total, sem serviços mínimos, que continua paralisando completamente todos os transporte da região.

Enquanto o governo não repuser as ajudas ao sector mineiro, a luta continuará. Uma luta pelo posto de trabalho, certamente, mas também uma luta contra o neoliberalismo  e pela manutenção do tecido produtivo nacional.

1 comentário:

JVC disse...

Dolores Ibarruri, asturiana!
E, se não me engano, um dos primeiros "feitos históricos" militares de Franco foi a repressão de um movimento grevista dos mineiros asturianos