quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

COM FRANCISCO LOPES ELA NÃO "FAZ FARINHA"

O QUE FAZ FALTA

Francisco Lopes dominou por completo a “Grande Entrevista”. Com ele em antena a responder, Judite de Sousa foi reconduzida ao seu papel.
Por muito que custe, tem de reconhecer-se que Álvaro Cunhal tinha razão. O PCP ou mantinha a sua matriz identitária ou, mais tarde ou mais cedo, desapareceria.
E é importante, muito importante, que o PCP exista tal qual é, como importante seria que tivesse mais força.
Todos os nossos males – os males dos que não são especuladores, banqueiros, monopolistas, oligopolistas ou dos que vivem à sua sombra – resultam da implosão dos partidos comunistas que apostam numa distribuição mais igualitária da riqueza.
Não haja ilusões: só o socialismo de quem não abdica dos princípios pode regular o capitalismo; só o socialismo de quem ameaça a concentração da riqueza pode promover o estado social em todas as suas componentes.
Francisco Lopes foi hoje a demonstração dessa firmeza. A firmeza de quem recusa tomar a parte, sob as luzes da ribalta, pelo todo; a firmeza de quem se não deixa enredar nas pequenas disputas de protagonismo, aproveitando antes todas as ocasiões para repisar o que é fundamental.
É uma liturgia que soa repetitiva ou mesmo insuportável a ouvidos burgueses, mas é uma liturgia indispensável…porque sem ela tudo se desmorona…

7 comentários:

anamar disse...

Hoje, não se comportou como a "primeira-ministra de Sintra..."
Zé Manel, vou fazer link para integrar um trabalho...
Abracito
Ana

Ana Paula Fitas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
jose silva disse...

Gostei deste seu comentário onde apreciei a forma "isenta" e séria na análise da entrevista. Muito dificilmente conseguirei ler na imprensa escrita, excepto no Avante!, tão mordaz análise ao que se passou e ao género tão em voga de manipular opiniões e entrevistados.
Vou partilhar com os meus conhecidos, e não só, do facebook.
Obrigado!

salvo disse...

Por portas travessas acabei por ler uma abordagem diferente, mas mais real.

Já agora, isso não se faz à Ana Paula...:))

j disse...

Óptimo!
Alguém com coragem para avançar contra a corrente, isto é, contra este atávico liberalismo que não se cansa de fazer dos ricos ainda mais ricos e de proletarizar muito mais largas camadas da população.
É isto mesmo o capitalismo... É isto mesmo a exploração capitalista.

JVC disse...

Meu caro, alinho com o essencial do que dizes, embora com a perspetiva talvez mais objetiva de quem conheceu bem o PCP (ao contrário de ti, ao que sei). De forma alguma concebo o PCP com poder de governo, mesmo que em minoria, mas reconheço-lhe um papel importante como contrapoder, mesmo mantendo a "cassete" (que, afinal, todos têm!).

Só não concordo é com a tua apreciação sobre a implosão dos PCs. É inteira verdade que o mundo de influência soviética virou para o piorio (veja-se a máfia KGB com Putin à cabeça, e agora o caso execrável da Hungria).

Mas o que pareces esquecer é a pergunta essencial, a meu ver: PORQUE implodiu o sistema do "socialismo real"? Porque é que ontem Cuba teve de começar com o seu plano de despedimento de centenas de milhares de funcionários públicos? Porque é que a China só vinga economicamente com negação de todos os mais elementares princípios defendidos por Marx?

Ana Paula Fitas disse...

Caro JMCorreia-Pinto :)
Obrigado por ter removido a mensagem já que não se referia a este post e não fazia sentido algum neste contexto!
Bem-haja também por isso!
... e já agora, deixe que diga ao comentador Salvo:
Obrigado pela observação mas, não se preocupe porque foi uma iniciativa correcta que subscrevo e agradeço como pode perceber por este comentário!
Abraço a ambos :) ... e em frente por uma segunda volta :))