segunda-feira, 25 de março de 2013

OS NOSSOS BANCOS E OS VOSSOS


 

QUE MAIS SERÁ PRECISO?
 
A consolidação do poder obtido ilicitamente no seio do grupo faz perder completamente a vergonha aos seus detentores.
Hoje os patrões do euro dizem sem rodeios: “Quando os nossos bancos estavam em risco de falência foi preciso salvá-los com o dinheiro de todos, propagando a crise da escassez de liquidez aos nossos devedores (que são vocês), fazendo-vos pagar um juro várias vezes superior àquele que vocês começaram por nos pagar quando vos aliciámos com dinheiro barato tanto para a compra das nossas mercadorias como para aplicação dos nossos capitais excedentários; agora que os nossos bancos estão salvos muito à custa dos juros agiotas que vocês nos pagam, está na hora de deixar cair os vossos e com eles os seus credores (com os quais nada temos…). Assim fica a zona euro mais forte e os nossos bancos mais sólidos com os depósitos que fogem dos vossos bancos falidos”.  

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Mas haverá gente que não entende? Por mim não é uma questão de entendimento mas de servilismo... vivemos, de facto, num regime de cleptocracia consentida (como no domingo dizia a Lídia Jorge)

menvp disse...

-> O contribuinte não nasceu ontem... leia-se: o contribuinte tem a obrigação de saber que a alta finança (capital global) pretende 'cavar-buracos'... e pretende manobrar plolíticos...
.
-> A superclasse pretende 'cozinhar' as condições que são do seu interesse:
- privatização de bens estratégicos: combustíveis... electricidade... água...
- caos financeiro...
- implosão de identidades autóctones...
- forças militares e militarizadas mercenárias...
resumindo: estão a ser criadas as condições para uma Nova Ordem a seguir ao caos(*) - uma Ordem Mercenária: um Neofeudalismo.
(*) -> Países em vias de 'Detroitização'... pode-se ver, por exemplo, «aqui» o "paraíso" que é Detroit.
{uma nota: anda por aí muito político cujo trabalhinho é 'cozinhar' as condições que são do interesse da superclasse (alta finança - capital global)}
.
Manobrando as suas marionetas... a superclasse (alta finança - capital global) 'cava-buracos' nas finanças públicas, na banca... e... quer pôr o contribuinte a tapar os buracos por si cavados!
O discurso anti-alemão que reina nos media internacionais (nota: são controlados pela superclasse) é uma consequência óbvia: depois de 'cavar-buracos' e saquear contribuintes de vários países... a superclasse quer saquear o contribuinte alemão.