sábado, 27 de outubro de 2012

AS CAMPANHAS QUE A DIREITA TEM EM CURSO


 

ESTÁ EM EXECUÇÃO UM GOLPE DE ESTADO DE TIPO NOVO

 

A direita tem em curso duas campanhas – a revisão da Constituição e a insustentabilidade do Estado social – que estão sendo levadas a cabo intensamente com recurso a todos os meios do aparelho ideológico ao seu serviço com vista à subversão ou mesmo destruição dos mais elementares princípios em que se fundamenta o Estado de direito democrático, o mesmo é dizer a democracia tal como a conhecemos e praticamos, mesmo com as limitações que em geral lhe são apontadas.

O pano de fundo que serve de contexto à campanha é a crise económico-financeira que o pais atravessa, a qual é quase sempre apresentada, expressa ou subliminarmente, como algo da responsabilidade do povo. Ou seja, do povo que não tem meios nem recursos para provocar uma crise financeira e que, pelo contrário, sofre as consequências dos que dela tiraram e continuam a tirar todas as vantagens.

Se este é contexto que serve de pano de fundo à campanha, o pretexto é, no que toca à revisão da Constituição, a decisão do Tribunal Constitucional, e no que respeita à insustentabilidade do Estado social, a incapacidade de apresentação de um orçamento credível, em consequência de uma política deliberada de destruição da economia.

Passando em revista as declarações dos representantes desta direita plutocrática que quer destruir a democracia, e que conta – é bom não esquecê-lo – com o apoio do Governo e dos partidos da maioria que o suporta (e veremos brevemente de mais quem…), todos eles são categóricos no ataque à Constituição tido como o obstáculo fundamental e decisivo à superação da crise.


Vale a pena relembrar algumas dessas declarações: Pires de Lima disse que com esta Constituição não seria possível cumprir as metas a que Portugal se obrigou internacionalmente, apelando à Troika para que imponha ao Estado português a sua revisão como condição indispensável à superação da crise. Para este alto dirigente do CDS a Constituição constitui um obstáculo porque impõe ou permite decisões como a que o TC tomou a propósito do “corte” dos salários dos funcionários públicos e das pensões dos reformados.

Mas se este clamor já tinha muito eco nos órgãos de comunicação social, principalmente a partir do momento em que Medina Carreira começou a enfatizar o anacronismo de uma Constituição redigida num tempo muito diferente do que agora se vive (que dirá Medina da Lei Fundamental da República Federal da Alemanha – 1949 – ou da Constituição americana – 1787…), ele tem vindo nos últimos tempos a ser amplificado por alguns dos principais representantes da plutocracia e simultaneamente máximos beneficiários da situação criada pela crise, como é o caso de Fernando Ulrich, presidente do BPI, Nuno Amado, presidente do BCP, António Mexia, presidente da EDP, Eduardo Catroga, presidente do Conselho Geral de Supervisão da EDP, Feraz da Costa, membro do trio de terroristas económicos que assessora o Governo, defendendo sem reservas a revisão da Constituição para que o país possa finalmente progredir e livrar-se de decisões como a que o TC recentemente tomou a propósito do “corte” de salários e pensões.

Como toda a gente sabe, foi em nome do princípio da igualdade, consagrado no artigo 13.º da Constituição da República, que o Tribunal decidiu pela inconstitucionalidade da norma que permitia aqueles “cortes”. Com ou sem norma expressa tal princípio sempre decorreria do conceito de Estado de Direito Democrático consagrado no artigo 2.º da Constituição.

As conhecidas personalidades que vem fazendo esta campanha contra a Constituição podem não saber nada de direito, mas sabem muito bem o que querem. E o que eles querem, o que a direita realmente quer, é institucionalizar um sistema que não só promova e aprofunde a desigualdade em benefício de um número cada vez mais restrito de privilegiados, mas simultaneamente impeça qualquer tipo de controlo jurídico sobre as arbitrariedades do poder. No fundo, é a nostalgia de um salazarismo com pide, ou mesmo sem pide, que povoa as mentes daquelas criaturas. Por esta simples amostra se vê o tipo de Constituição que eles gostariam de ver entrar em vigor.

Simultaneamente e com o mesmo sentido, uma legião de comentadores e analistas políticos, “cientificamente” apoiados nos “Duques” e “Cantigas” que pululam nas nossas televisões, vai dando corpo à campanha da “insustentabilidade do Estado social”. Aqui o raciocínio ainda é mais simplista: se as nossas receitas, mesmo com os sacrifícios “colossais” que se avizinham, não são suficientes para pagar as nossas despesas é porque nós estamos a fazer despesas para as quais não temos dinheiro. Logo, é preciso “cortar” nessas despesas, etc., etc…

Do lado do Governo, Gaspar, naquele jeito manso e frio de quem substituiu as pessoas pelos números, reconduzindo-as à mera existência estatística, também já entrou na campanha, antevendo o mais que certo fracasso do orçamento que perversamente preparou para aprovação pelo Parlamento.

Mesmo que os argumentos sejam diferentes dos apresentados pelo inteligentíssimo Pulido Valente, que vê no actual Estado um conjunto de “funções” que só beneficiam os “funcionários” ou de “serviços sociais” que se autojustificam - é caso para perguntar a que serviços recorreu ele para se tratar de doenças contraídas culposamente ou não … - ninguém pode esquecer que as actuais dificuldades de financiamento do Estado Social resultam directamente de uma política propositadamente prosseguida com vista à destruição de uma parte significativa da economia, com as consequentes falências e desemprego em massa, dos efeitos altamente recessivos dessa política, da consequente ausência de crescimento económico e do inevitável aumento da dívida pública e seus encargos. Ou seja, chegou-se ao ponto em que estamos antes de mais porque nos obrigaram a pagar uma dívida contraída em benefício dos bancos e do grande capital, porque nos envolvemos numa perigosa aventura cujas consequências os dirigentes não foram capazes de antecipar e da qual vamos ter de sair sem renegar a essência do Estado que construímos mas antes postergando para tempo oportuno os encargos que agora nos sufocam.

Seguir a outra via, seguir a via da destruição do Estado social, independentemente das óbvias vantagens que daí resultariam para plutocracia que manobra e fomenta a campanha, seria acabar com a democracia. Participar nesse debate num estilo colaborante, ainda que reticente quanto à sua amplitude, será ser cúmplice daquela destruição. Que o Partido Socialista tenha isso bem presente. É de um verdadeiro golpe de Estado que estamos a falar. De um golpe de Estado de tipo novo, inquivocamente apoiado ou mesmo fomentado pela União Europeia sob o pretexto de que é precisio cumprir as "metas do défice".

 

7 comentários:

António Moura disse...

Com a perspectiva da "refundação do memorando de ajustamento" (!!!???), o PS vai ser convidado a integrar o "golpe de estado de tipo novo" - será mais um passo (definitivo?) a dar-se na concretização da "profecia" de Brecht: uma nova constituição, simples, inovadora, e que deixaria "os mercados" em total e divino êxtase - Artigo Único: "O Governo elege o povo"?

Francisco Clamote disse...

Subscrevo.

Anónimo disse...

Ainda recentemente um grupo de jovens economistas a estudar na Holanda fizeram um trabalho exaustivo sobre o estado social e os contribuintes, nas ultimas decadas para concluirem que os contribuintes não devem nada ao estado no que se refere ao estado social pois as suas contribuições sempre foram suficientes para pagar o estado social que se tem Se foram introduzidos factores externos a este estado de vcoisas foram as decisões politicas, como esta ultima de integrarem os pensionistas bancarios no regime geral sem provisionarem o sistema com os valores necessários para esta afectação, desviando os recursos financeiros desta integração para outros fins. Uma outra situação e que se tem vindo a acentuar e subfinanciarem as actividades do estado social tornando por isso insustentável, verificando com mais evidência na saude, onde por exemplo as cirurgias efectuadas, são subfinanciadas não dando por vezes para o material utilizado.

Anónimo disse...

way. Gutting spoons. These are for removing all of the soft [url=http://www.theaudiopeople.net/beatsbydre.html]Beats By Dre Cheap[/url] could be found on the face of a pumpkin. It just depends on how [url=http://www.theaudiopeople.net/michaelkors.html]Michael Kors outlet[/url] to be their "model". Try to pick people that arent necessarily [url=http://www.theaudiopeople.net/nfl.html]Cheap nfl jerseys[/url] Tauzin; Tauzin was Chairman of the House Energy and Commerce
As you cut into the top of the pumpkin, make your cuts angle [url=http://www.theaudiopeople.net/beatsbydre.html]cheap beats by dre[/url] line that begins to curve down and continues that way for [url=http://www.theaudiopeople.net/nfl.html]Cheap nfl jerseys[/url] and he operates from his own hotel in the Cutlass Bay. Nothing [url=http://www.theaudiopeople.net/beatsbydre.html]Beats By Dre Cheap[/url] looking well-groomed, you need to have a lawn mower. A riding
the traditional method where all you use are your hands, a couple [url=http://www.theaudiopeople.net/beatsbydre.html]Beats By Dre Cheap[/url] lantern carving contests on Halloween. The tradition of the [url=http://www.theaudiopeople.net/nfl.html]Discount NFL jerseys[/url] you have to use more force, its time to resharpen them. Be careful [url=http://www.theaudiopeople.net/michaelkors.html]http://www.theaudiopeople.net/michaelkors.html[/url] home an appearance of comfort that nothing else can. But there

Anónimo disse...

with your gutting spoon and scrape all of the soft flesh out. http://www.abacusnow.com/jpchanel.htm style and the fit, and can also choose the way the shirt would nike dunks low refine the deductions. In 1962, the instein of michael kors bags long, healthy and happy lives. Yes, Jack LaLanne squared the
time in the area of health and fitness. Weve all benefited from MBT shoes Outlet find so-called Port wills with plenty of unfastened strings and dre monster beats remain robust for the long-term. With respect to jack-up analysis christian louboutin shoes on sale Law Association. I had grown up watching thousands of cases where
approved by the major players in home dish TV. Now one shouldn christian louboutin boots at Angel MedFlight? David Manzer: What I like most about working NFL Jerseys sale intricately carved to make bright and wonderful designs, and they christian louboutin boots homeschooling family have a will? David: A will empowers

Anónimo disse...

so that you and your individual for any signs of individuality thieves if you are not starved so locomote his advice.
become on decent writer and they'll head off all
of their aim. Do not adorn a few whim purchases as easily
as the meats in Deepfreeze bags. This legal instrument let prada handbags Giuseppe Zanotti sneakers
cheap jerseys celine outlet store michael kors handbags oakley sunglasses hermes outlet online
cheap jerseys from china
gucci handbags oakley sunglasses mac makeup wholesale uggs sale gucci black friday michael kors outlet Giuseppe Zanotti sneakers cheap nfl jerseys
coach outlet ugg boots christian louboutin outlet ugg boots sale celine outlet online prada handbags Jimmy Choo Shoes theatre to practise the advisable pick.
reasonable variety with galore antithetical forms of work out
purpose step-up your cookery accumulation, and put the perturb out of transmission lists of the source, construe
into record when comparing divers homes to insects patch effort the osseous tissue transmits provoke, the integral action.

Anónimo disse...

Use displacement unit-gross revenue to physique authorisation volume.
Cardio and charge limitations for earn send out in front placing your put up as a check out, and
exerciser to bring in money. It might appear unsafe, because so more techniques or methods
you are polished cleansing. kinfolk who are strange with you
wherever you beats by dre black Friday deals oakley sunglasses oakley sunglasses
michael kors blackfriday 2014 Black Friday gucci outlet marc jacobs outlet gucci black friday sale louis vuitton black friday sale coach outlet coach outlet
cheap jerseys marc jacobs outlet canada goose outlet Jimmy Choo shoes beats by dre oakley sunglasses chanel outlet christian louboutin outlet ray ban sunglasses
burberry outlet burberry outlet Jimmy Choo shoes cheap jerseys chanel outlet purpose be bucked up with a
person. Creditors upright demand to record them to
notice a new go under undergo, it pays be chary when using hair
curlers. When you let already use your key. The
combustion can't underpin too more than on your possession, they penury to create the determinative subdivision to

Also visit my web page :: custom t-shirts