segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

AS RECEITAS DE DANIEL BESSA




OU A INCAPACIDADE DE FUNCIONAR FORA DO SISTEMA NEOLIBERAL

Daniel Bessa é um daqueles economistas que regularmente se exprime no Público. Quase se torna desnecessário lê-lo, por haver a certeza antecipada do que vai dizer.
Hoje, a propósito das contas públicas e da situação da economia, a receita não poderia ser mais clara: aos empresários tem de ser dado dinheiro para se “modernizarem”, sem grandes formalidades, nem exigências. Se se quer resultados há que arriscar. Mas como conciliar tudo isto com a necessidade de reduzir a despesa? Muito simples: privatizando o ensino e a saúde. Só privatizando se poupa. Não há outra forma de cortar na despesa!
Bessa é um verdadeiro selvagem no sentido filosófico do termo. O seu capitalismo é o do estado de natureza, anterior á formação do chamado estado civil (societas civilis), para usar a terminologia hobbesiana. Curiosamente, Bessa levanta um problema, que aliás também já estava aflorado na entrevista de Amado (“a força imperativa dos mercados”), atrás comentada: poderá haver capitalismo fora do estado de natureza?

2 comentários:

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

É um economista do regime e está tudo dito...

JVC disse...

Não é tão simples como isso. Foi o ministro da Economia do primeiro governo Guterres e estou certo de que hoje, ao ler isto, Guterres se arrepiaria.
O meu tempo de juventude era de uma certa rigidez ideológica, mudar era difícil, era uma cedência face ao fascismo. Se todos tivéssemos conseguido flexibilizar as ideias, muitos erros se teriam evitado. Mas agora é o oposto. Parece que fica bem mudar ideologicamente mais rápido do que um catavento.