sábado, 15 de maio de 2010

A DESCENTRALIZAÇÃO DOS AEROPORTOS



O QUE JÁ SE SABIA

Um estudo encomendado pela ANA sobre a descentralização do Aeroporto Sá Carneiro terá concluído que a sua autonomização seria ruinosa pela razão simples de que apenas a gestão integrada dos aeroportos nacionais poderá assegurar a sua rentabilidade.
Tudo isto se sabia. Qualquer pessoa minimamente informada teria antecipado esta conclusão.
Talvez valha a pena reler estes dois posts, um sobre os estudos, outro sobre a privatização da ANA.
Agora só falta saber se a ANA vai ser privatizada ou se o Governo se vai esforçar por encontrar uma outra solução igualmente ruinosa.

2 comentários:

Zé_Lucas disse...

Boas.
Esqueceu-se de indicar o link para o dito-cujo estudo.

Obrigado

Jorge Almeida disse...

Sabe, a conclusão desse estudo não é o que se percebe na realidade, pois é possível transformar o Sá Carneiro no aeroporto internacional que sirva a Galiza também, o que, na realidade, nem sequer se vê a administração da ANA a esforçar-se para conseguir isso.
Nunca se viu ninguém da administração da ANA ir à Galiza promover o aeroporto do Porto, batendo à porta das agências de viagens galegas, das associações empresariais galegas, etc ..., dizendo que está mais perto que o aeroporto internacional espanhol mais próximo da Galiza (Barajas, neste caso). A única promoção feita ao aeroporto na Galiza é feita pela AEP, essa é que é essa!

Se conseguirmos atrair os galegos para este aeroporto, consegue-se um acréscimo de passageiros a passar por aquele aeroporto, o que, naturalmente, aumenta o potencial daquele aeroporto obter lucros.

Por acaso esse estudo não se insere numa estratégia de valorizar o aeroporto de Lisboa, esvaziando o do Porto, de modo a ter mais movimento em Lisboa, de modo a justificar (dessa maneira) a construção do novo aeroporto? É que não acredito em coincidências ...

E eu que, como sabe, sou a favor da construção dum novo aeroporto, mas pela razão de afastar os aviões do céu de Lisboa, de modo a que não nos caia nenhum na cabeça.