sexta-feira, 12 de setembro de 2008

OS "ACTIVOS EXTRAVAGANTES" DO BPN

A LATA DE CADILHE

Cadilhe, conhecido como beneficiário de indemnizações vitalícias, grande liberal (à custa do dinheiro do Estado), vem dizer-nos que o Banco Português de Negócios (BPN), de que agora é presidente, tem para lá uns “activos extravagantes” (veja-se só que nome estes tipos dão aos monos), que vão ser transferidos para o Banco de Portugal.
Mas o que é isto? Que pouca vergonha é esta? Que obrigação tem o Banco de Portugal de comprar aquela sucata do BPN?
Só há aqui uma coisa que me escapa: por que razão veio Cadilhe falar publicamente no assunto? Constâncio, interrogado sobre o dito, começou por não comentar, para depois afirmar que nada estava ainda decidido.
Constâncio, uma espécie de “guarda-geleia”, não se pôs de fora. Alguém tem de tomar providências…

3 comentários:

Albin disse...

Sobre o assunto em epígrafe, de onde consta o escândalo do BPN, e sobre o qual se tem omitido a aquisicão de uma coleccão de "arqueologia", pela anterior direccão desse banco, pela quantia de cinco milhões de euros, recomenda-se a sua consulta no Fórum Arqueologia, na seccão Conversa Geral, nos tópicos em discussão na actualidade, "Contrafaccão e contrabando de objectos ditos arqueológicos"; "Década de noventa - época de vandalismo e saques organizados"; e "Polícia espanhola".

Atenciosamente os nossos cumprimentos.

ArtemInvenite Manuel de Castro Nunes disse...

http://transparente.blogs.sapo.pt/848.html

ArtemInvenite Manuel de Castro Nunes disse...

É melhor consultar essa ligação.